CONTO | COLEÇÃO

COLEÇÃO

— Você está vendo isso?

— O que será? — perguntou Shirell para Thumver.

— Vamos sair daqui! Está vindo!

Eles correram assustados. Algo voando, como uma enorme ave de metal, se aproximou deles. Shirell e Thumver tentaram atacar arremessando suas lanças que passaram longe e então eles começaram a correr novamente. A ave de metal lançou algo gosmento da direção deles e quase os acertou.

Shirell e Thumver se depararam com uma caverna estreita e entraram. Sem conseguir enxergar, eles adentraram ainda mais e de repente começaram a escorregar para o fundo.  

— NÃOOO! — gritou Thumver.

Confusos com a escuridão da caverna, eles viram uma luz que parecia ser uma saída.

Estão nos seguindo! Temos que fugir! — disse Shirell, desesperado.

Thumver seguiu a luz no fim do túnel. Shirell o acompanhou. Chegando, eles se depararam com uma área enorme e bonita.

— Onde estamos?! — perguntou Shirell, confuso.

— Nosso deus nos levou! Morremos! — disse Thumver admirado com a beleza do local e ao mesmo tempo apavorado, achando que havia morrido.

— Eiii! Isso dói! — reclamou Thumver da pancada que levou de Shirell.

— No paraíso do nosso deus não deveríamos sentir dor. Ou os sábios estavam errados? — questionou Shirell.

Eles ouviram um estrondo vindo do local de onde saíram.

— Eles ainda estão vindo atrás da gente! Vamos continuar fugindo!  — disse Thumver.

Shirell e Thumver seguiram para o meio da floresta à frente deles.  De repente avistaram alguém mais jovem que olhou para eles assustado. Outros apareceram e se espantaram com a presença deles.

— Se parecem com a gente, mas o que usam? — questionou Thumver.

Eles tentaram se aproximar, mas hesitaram. Os que pareciam com eles diziam coisas que eles não compreendiam. Uma explosão assustou a todos. 

— Temos que fugir! — disse Shirell olhando para o local de onde vieram e que havia acabado de explodir.

Todos que estavam à frente deles entraram em pânico e se dispersaram. Thumver e Shirell correram seguindo um daqueles que se parecia com eles e usava coisas diferentes. Quando saíram da floresta viram construções estranhas aos seus olhos. Os que pareciam com eles entraram nessas construções.

Eles viram a ave de metal se aproximando. Mais aves de metal surgiram e começaram a lançar coisas gosmentas para todos os lados. Eles fugiram sem rumo, assustados e ao mesmo tempo admirados com as coisas novas com que se deparavam. Pareciam ser coisas dos deuses.

Shirell e Thumver voltaram para a floresta e se esconderam em um arbusto. 

— Não tem para onde fugirmos! — disse Shirell assustado.

— Vamos esperar ficar escuro para tentarmos escapar! — disse Thumver sem saber para onde ir.

Eles permaneceram quietos e escondidos e ouviram mais explosões e gritos. Depois de um bom tempo o silêncio prevaleceu. Thumver e Shirell esperavam pela escuridão que demorava. De repente foram surpreendidos por seres estranhos que usavam vestes que pareciam ser de metal. Os seres encostaram um tipo de lança neles que os fez se contorcerem e desmaiarem.

 

***

 

Shirell acordou tonto.

— Onde estou? Thumver? Thumver? — tentou acordar o companheiro que estava ao seu lado.

Thumver abriu os olhos lentamente e se levantou.

— O que houve? Onde estamos? O que são essas criaturas? — questionou Thumver olhando para outras espécies estranhas que também estavam engaioladas ao lado deles.

Um ser que estava preso à direta da gaiola deles, estendeu o que parecia ser sua mão.

Eles ficaram assustados achando que a criatura estava querendo atacá-los. O ser continuou com a mão estendida e Thumver tentando ser corajoso ao menos uma vez, se aproximou cautelosamente. Quando ele ia tocar na mão da criatura, ela segurou seu braço.

— ME SOLTAAAAAA! — gritou Thumver assustado.

Ele começou a ver coisas confusas que logo depois foram se tornando compreensíveis. Depois de uns segundos o ser o soltou.

Thumver olhou para ele surpreso.

— Então você se chama Frihuntinh. Conexão neural! Como? Surpreendente tudo isso! — disse Thumver deslumbrado e numa língua que seu companheiro Shirell não compreendia.

— O que está falando? — perguntou Shirell, confuso.

— Desculpe-me, meu amigo — disse Thumver na sua língua primitiva.

— Desculpa? Amigo? Que palavras são essas? — questionou Shirell.

— O que eu vou lhe dizer  tenho quase certeza que não irá compreender.

Shirell olhava ainda mais confuso para Thumver.

— Frihuntinh é um alienígena e seu planeta também foi atacado. Sua espécie tem uma habilidade especial. Eles podem fazer conexões neurais com muitas espécies vivas dotadas de consciência. Isso que ele fez comigo! Fez uma conexão e passou todo seu conhecimento para mim.

— Thumver? — disse Shirell com um olhar confuso.

Meu amigo, não estamos sozinhos no Universo. Nosso planeta foi atacado e agora somos prisioneiros — disse Thumver, preocupado.

— Prisioneiros? — questionou Shirell.

— Sim. E o pior, somos a coleção deles. Somos a coleção dos terráqueos.

5
Rated 5 out of 5
5 out of 5 stars (based on 1 review)
Excelente100%
Muito bom0%
Média0%
Ruim0%
Muito ruim0%

FINAL FANTÁSTICO

Rated 5 out of 5
10 de agosto de 2020

Foi um final surpreendente. Gostei muito. Uma leitura rápida que prende do início até o fim.

Victor